Homilia

Deus não está à disposição do capricho e da curiosidade humana. De nada adianta pedir provas e sinais, à espera de que Ele realize feitos aparatosos, pois sem mudança de vida, sem conversão, o maior dos milagres é como luz para cegos, grito para surdos: nenhum efeito surte.

Homilia

A oração cristã não é um exercício de oratória nem de convencimento. Deus sabe muito bem do que precisamos, de modo que não há razão para florear nossas necessidades, fazendo caras e bocas desnecessárias, a fim de tentar comover o coração de Deus ou mudar-lhe um pouco a vontade a nosso favor. Quem reza assim, age como pagão, e não como discípulo de Jesus Cristo.

Homilia

No Evangelho de hoje, somos confrontados com o Filho do Homem que virá para separar justos e pecadores, ovelhas e cabritos. E o grande distintivo dos primeiros é justamente a caridade manifestada para com os irmãos. Com isso, Nosso Senhor quer nos ensinar que o amor a Deus, embora seja a primeira coisa que devemos querer, só acontece concretamente através do amor ao próximo.

Homilia

As tentações de Cristo e os três inimigos da alma
Nosso Senhor “ficou no deserto durante quarenta dias”, diz o Evangelho deste domingo, “e aí foi tentado por Satanás”. Jesus Cristo, indo para o deserto, venceu o mundo; jejuando, venceu a carne; e resistindo às tentações, venceu o demónio. Nesta homilia, Padre Paulo Ricardo faz uma importante meditação sobre essas três vitórias de Cristo, mediante as quais recebemos a graça para enfrentar a “quaresma” desta vida e vencermos, também nós, os inimigos de nossa salvação eterna.