Homilia

Em Deus, assim como justiça e misericórdia sempre andam juntas, assim também o amor e a ira não são mais do que aspectos distintos de sua única e infinita caridade. Ao pegar hoje do chicote para expulsar os vendilhões do Templo, Cristo não cede a uma paixão desgovernada, mas emprega toda a riqueza de seus sentimentos para, como última tentativa, corrigir um povo que não quis se deixar vencer por suas provas de amor e carinho.

Homilia

Deus, onipotente e impassível, assumiu a condição mortal e, com um Coração humano como o nosso, deixou-se ferir na carne para que nós, por suas chagas gloriosas, tivéssemos a graça de o amar de volta.

Homilia

Deus, como diz o Apóstolo, não faz acepção de pessoas, mas isso não significa que Ele seja um “igualitarista”, à maneira de certos movimentos sociais. O Senhor dá, sim, a cada um uma missão especial e, portanto, talentos e capacidades distintas, não para nos orgulharmos do que temos, mas para sermos um dom para os que não o têm. Porque, ao fim e ao cabo, por mais que uns tenham mais do que outros, a recompensa final é para todos uma só, acima de toda medida: a alegria de ver e amar a Deus para sempre.

Homilia

A Igreja celebra hoje a Memória da Apresentação de Nossa Senhora. Maria SS., entregue aos três anos de idade ao serviço do Templo de Jerusalém, foi desde o ventre materno totalmente consagrada a Deus, a quem sempre amou mais do que tudo, de maneira que o seu voto perpétuo de virgindade não foi mais do que uma consequência espontânea de sua perfeita e ardentíssima caridade.