O Conselho Económico é presidido pelo Padre Almiro, com a colaboração de sete leigos (designados por conselho para assuntos económicos), que são aprovados pelo Bispo, pelo prazo de três anos, renováveis.

É um instituto eclesiástico ou pessoa jurídica não colegial a que pertencem todos os bens ou direitos temporais, destinados à conservação, reparação e manutenção da Igreja e ao exercício dos atos de culto.

Compete-lhes administrar de acordo com a lei canónica e civil, os bens materiais da paróquia e do centro paroquial da igreja, e em particular manter em dia o inventário dos bens e prestar anualmente contas ao bispo.

Canidelo tem o Conselho Económico funcional, conforme as leis da Igreja. Os seus livros de atas vêm desde junho de 1932 e são o repositório de factos da vida paroquial e são, por isso, de muita valia.

O Conselho Económico reúne todos os meses e sempre que o justifique mais do que uma vez por mês.